-with no turning back-
30
Jul 11

Fui para casa e subi até ao meu quarto. 

 Estava super entusiasmada com a ideia de criar uma página online por isso liguei de imediato o computador...correcção: o meu lindo computador da Apple.

 Nunca pensei que criar um blog desse trabalho, aliás não dá, o que dá trabalho é decorá-lo ao nosso gosto, depois de ver milhões (exagero) de fotos num site, lá me decidi por pôr uma foto com flores, em tons de rosa, branco e azul. Posso dizer uma coisa? Na minha opinião o blog está: AMOROSO! A sério, não quero ser convencida mas tenho de reconhecer que o blog está mesmo fofinho... adiante, depois de criar o blog escrevi o meu 1 post como é óbvio. 

 Acabei de escrever e baixei a tampa do portátil... ter escrito deixou-me a pensar no Duarte... por isso para desanuviar respirei fundo e voltei a sair de casa. Vesti um casaco fino, estava vento mas não esta frio, era o suficiente para me aconchegar.

 Fui dar uma volta até ao parque das crianças,  têm lá baloiços, escorregas e essas coisas habituais. Sentei-me no baloiço e econstei a cabeça a uma das correntes que segurava o assento, fiquei ali por volta de meia hora a pensar na vida até que vejo uma senhora de idade com um rapazinho e uma menina, cada um segurava uma mão da senhora. Dirigiam-se para os baloiços onde eu estava.

Enquanto se dirigiam para aqui eu consegui ouvi-los a susurrar. As crianças pediam à avó para virem aos baloiços, e a avó dizia-lhes que estava lá uma menina e por isso não podiam andar os dois. Isto repetiu-se durante o caminho todo, até que a avó desistiu e quando chegou ao pé de mim disse:

-Boa tarde menina, não se importa de sair desse baloiço só por um bocadinho? É que as crianças não param de me chatear.

-Ah... sim, é claro não há problema. 

Saí dos baloiços e comecei a caminhar até casa. Lentamente, apetecia-me apreciar a natureza e o vento que teimava em tornar-me num completo Einstein, o meu cabelo, loiro e ondulado cheio de nós para aqui e para ali... cheguei a casa completamente calma e relaxada.

-Boa tarde família, o que é o jantar?  -estavam os dois nos seus lugares habituais.

-É frango na tostadeira com aquele molho de pimentão que tu gostas e puré de batata.

-Hum, ainda bem avó! Era mesmo o que me estava a apetecer -disse no meio de um largo sorriso.

-Vou lá para cima, quando o jantar estiver pronto chamem-me.

-Está bem querida vai lá. Mas olha que o jantar já não demora muito!

Cheguei lá acima e fui directamente à casa de banho, penteei-me o que demorou alguns minutos, o meu cabelo para além de loiro e ondulado é comprido! Fui ao closet, vesti o meu pijama cinzento com lacinhos cor-de-rosa, calcei as minhas pantufas cinzentas e fui para o quarto. Liguei o computador e assim que o fiz, o skype começou a chamar-me, cliquei no pequeno ícone azul na barra de tarefas e vi que era o Alex que estava  a meter conversa comigo.

-Hey miuda!

-Olá Alex!!!

-Queres fazer chamada de video?

-Pode ser...

Ligámos as nossas webcams e microfones e começámos a falar.

Ele: Olá!

Eu: Oi!

Ele: Então... já jantas-te?

Eu: Não e tu?

Ele: Eu já.

Eu: Comes-te o quê ?

Ele: Filetes de peixe.

Eu: Hum, que bom!

Ele: Fiquei com fome à mesma...

Eu: Oh meu deus, comeste filetes e mesmo assim continuas com fome?

Ele: ya...

Eu: Ai, ai... enfim...

Ele: Então... já crias-te o tal blog?

Eu: Já.

Ele: Ok... depois manda-mo para o meu email se não te importares.

De repente oiço a minha avó a chamar-me.

Eu: Olha vou ter de sair...a minha avó está a chamar-me para jantar.

Ele: Ok, adeus, falamos por sms?

Eu: Sim, adeus, beijocas.

Encerrei o computador e desci as escadas aos saltinhos, e juntei-me a eles na mesa.

-Então pai, como foi o primeiro dia no trabalho?

-Foi muito bom até. Eles gostaram de mim e contractaram-me. Segunda já começo a trabalhar a sério.

-Ai é? Isso é muito bom pai!

-Pois é.

Acabámos de jantar e o meu pai dirigiu-se para o bengaleiro e retirou o seu casaco vermelho da Quebramar.

-Vais a onde pai ? -perguntei eu sentando-me no sofá.

-Vou beber café.

-Luís, não precisas de dinheiro? -perguntou a avó fazendo uma pausa a lavar a loiça e olhando para o meu pai.

-Não, ainda tenho que chegue, aliás, se tudo me correr bem no novo trabalho nunca mais precisarei que a mãe me dê dinheiro, poderá usufrui-lo com coisas de que gosta e precisa para a sua saúde.

-Pois é, isso é muito bom, então vai lá filho, vai lá.

O meu pai saiu e eu continuei a ver televisão juntamente com o barulho do esfregão a passar nos pratos e a espuma a dançar pelo lava-loiças. Começara a dar a telenovela que a minha avó gostava de ver, e por acaso eu também, digo por acaso porque não sou grande ou melhor nada apreciadora de telenovelas, tantas intrigas, más representações, discuções, problemas, traições, coisas que não me agradam minimamente. Mas aquela telenovela era muito melhor e bastante diferente de todas as outras. Tratava de uma rapariga que é do campo e vai morar para a cidade e ela não percebe nada daquilo e das tecnologias e essas coisas, e um dia enquanto estava na secção de produtos de bebidas no super mercado a tentar descobrir a diferença entre sumo e sumos light, choca contra um rapaz e apaixonam-se e depois vivem montes de aventuras juntos, é alegre e divertida e talvez essa a razão de eu gostar dela.

 Assim que a minha avó acabou de lavar a loiça juntoui-se a mim no sofá e vimos o resto da telenovela juntas. A meio de uma cena romântica deixa escapar um:

-Eles estão tão apaixonados, e ficam tão perfeitos juntos...

A minha avó riu-se.

-Mas tu também arranjas-te logo um namorado mal aqui chegas-te e pelo que tu dizes ele é lindo de morrer e vocês entendem-se muito bem por isso não tens motivos de queixa. (sim, eu conto tudo, pronto, praticamente tudo à minha avó).

-E não tenho.-disse.

-Mas também tens que admitir que começares a namorar com um rapaz logo passado 3 dias de o conheceres é uma coisa assim... um pouco... precipitada, não achas?

-Eu não acho que para se ter um namorado temos que o conhecer à anos, por exemplo, há pessoas que conhecem o namorado à anos e que gostam um do outro, mas se não houver paixão ou ''química'' nunca será uma relação com faísca. E é isso que as pessoas querem não é? Romance...paixão...química...faísca. O namorado de uma pessoa pode levá-la a jantar, mas se não houver aquelas palavras não decifradas por traz do olhar de cada um, ou uma mensagem por dizer por trás de cada frase, não é a mesma coisa. O que eu quero dizer com isto é que as pessoas procuram paixão e não a simples palavra amo-te que hoje em dia cada um a diz com um abrir e fechar de olhos. 

-Ai Emmita... 

-O que é?

-Estás a apaixonar-te...a minha menina a ter o seu primeiro amor!

-Possivelmente, porque se chamam a isto paixão, então o que eu tinha com o Duarte era amizade com beijos de bónus, se é que me faço entender.

-Eu quando conheci o teu avô também estava assim, e foi e sempre será o amor da minha vida.

Limitei-me a sorrir-lhe e entretanto a telenovela já tinha acabado. Dei-lhe um beijo no rosto e desejei-lhe as boas noites, e fui-me deitar.

A minha avó é alguém muito presente na minha vida, alguém com um espírito jovem e com uma vontade e força de viver enorme, é uma mulher linda por dentro e por fora, alguém que admiro imenso.

 Já no meu quarto mandei uma mensagem ao Alex. Eram cerca de 22.30h.

-Ainda estás no pc ?

-Sim, porquê? -respondeu ele.

-Porque lembrei-me de te dar o meu blog. http://inside-of-emma.blogs.sapo.pt/

 

-Ah ok! Vou já ver. Olha no próximo fim-de-semana queres vir comigo a um bar numa vila aqui perto ? Vai lá um rapaz tocar guitarra ao vivo.

-Adorava! -respondi-lhe. Que fixe ir a um bar com o meu namorado!!! Vai ser espetacular, acho eu...

Lembrei-me que tinha combinado com a minha mãe mandar-lhe um email a falar sobre a semana toda, todas as sextas-feiras por isso liguei o computador e comecei a digitar:

 

Olá mãe, como estás? E o André?

Bem... a escola vai bem, conheci pessoas muito simpáticas, tenho várias amigas com quem falo muito na minha turma mas a com que me dou melhor é a Marta talvez porque... bem eu conheci um rapaz ele chama-se Alex, e nós gostamos um do outro e a Marta é a irmã dele, e talvez seja por isso. Como deves imaginar eu namoro com esse rapaz, podes pensar que foi muito repentino mas eu não quero saber mais do Duarte e não vou ficar em casa a chorar baba e ranho por uma pessoa que não chora por mim, por isso, não estou nada arrependida de namorar com Alex, para além de que acho que... estou apaixonada mãe! Ele é lindo, é moreno, tem olhos verdes e o cabelo é preto ondulado. Ele é muito simpático, e querido, eu gosto mesmo dele mãe... temos andado a trabalhar na casa ambandonada dos avós dele no monte...longa história, para a próxima vez que lá formos vamos começar a pintar, talvez na quarta feira ou assim. À bocado o Alex convidou-me para ir com ele a um bar que tem música ao vivo no próximo fim de semana, estou ansiosa, espero que seja fixe! Ah... o pai e a avó estão bem, e a avó deixou-me ficar com uma gatinha branca que eu salvei, estava presa na árvore. Chama-se Alem (aleme) Ah! E o pai arranjou um trabalho como assesor na área de turismo. Está tudo bem por aqui... Beijos.

 

Ok... enviar...mãe...já está!

''O seu email foi enviado com sucesso para Alex Soares''.

Que giro temos o mesmo apelido e tud... O QUÊ????????????????????????????????????????????????????????

O email foi enviado para quem?!?!?!?!??!!?!?!?

Não posso acreditar!!! OH MEU DEUS, E AGORA? QUE VERGONHA... ai o msn está a chamar-me... é ele!!! OH!

Ele: Com que então, sou lindo é? aha :)

Eu: Oh meu deus... tu não devias ter visto esse mail... que vergonha...

Ele: Calma! Está tudo bem, não stresses! :P

Eu: Hello!!! Tipo isto é super embaraçoso, não podes fingir que não leste nada?

Ele: Ler o quê

Eu: É assim mesmo! :) Ihihihi, bem vou sair da net, até amanhã.

Ele: Até amanhã doidaa.

Envieei o mail novamente, mas desta vez com o destinatário certo: a minha mãe.

 Desliguei o computador e amanhã será o primeiro fim de semana a seguir às aulas começarem.

publicado por Kate às 00:25
mais sobre mim
arquivos
pesquisar neste blog
 
sinopse
Na adolescência há acontecimento que podem ficar marcados para sempre. Conseguimos possuir de um milhão de sentimentos em simultâneo, tão bem como pensamentos. With no turning back retrata a história de uma adolescente: Emma, que após ser trocada pelo namorado, e de uma noite marcante na sua vida, em conjunto de um repleto disparate, Emma é obrigada a ir viver com o seu pai e avó para o Alentejo, onde vai fazer amizades que jamais irá esquecer, e principalmente onde vai conhecer o rapaz dos seus sonhos... mas logo por azar, Emma descobre algo terrível, o que pode ser tomado como um risco ou não. Mas quando o amor é muito, e principalmente ''à primeira vista'' não há nada que faça parar o coração de uma adolescente.