-with no turning back-
17
Jul 11

Beauty Fantasy

Cheguei a casa e o meu pai e a minha avó estavam sentados no sofá a ver televisão, cumprimentei-os e perguntei-lhes o que estavam a ver e responderam-me que estavam a ver um novo programa de culinária.

 -Bem eu vou-me deitar. -disse.

-Já vais?-disse a avó.

-Sim, estou cansada.

-Está bem.

Subi as escadas e fui em direcção ao meu quarto, despi-me, vesti o pijama e enfiei-me dentro da cama. A gatinha estava ao meu lado, e eu pensava em que nome lhe dar. Eureka, Flora, Kit, Koda, Maggie, Shanna, Trika... que nome? Estava completamente indecisa. Voltei-me com a cara virada para a parede, coloquei a gata ao pé do meu peito, aconcheguei-me mas mesmo assim não conseguia dormir, algo estava a deixar-me eléctrica, com vontade de cometer loucuras, aquele dia tinha sido tão maravilhoso que o meu desejo era que nunca mais acabasse, mas tinha que acabar, como outro dia qualquer, o que me deixava ainda mais triste. Depois de andar às voltas na cama, olhei pelo ecrã do meu iphone e eram 1:30, decidi mandar uma mensagem ao Alex.

 -Olá amor.

 -Hey! Que fazes acordada a estas horas?

 -Não consigo dormir.

 -Então porquê ?

 -Estou sempre a pensar em ti, e no dia de hoje...

 -Precisas de companhia ?

 -Que queres dizer com isso?

 -Se queres que eu vá ter aí...e vamos dar uma volta ou assim.

 -Estás louco!

 -Só se for por ti, anda lá.

 -Não me assustes Alex, ahah, dorme bem.

 -Ok...até logo.

O que é que ele queria dizer com até logo ? Estaria a referir-se a ''até logo do género encontramo-nos em tua casa daqui nada'' ou ''até logo, vemo-nos de manhã'' ? Tentei esquecer o assunto e lá por volta das 2h da manhã adormeci, comecei a ter um sonho estranho, estava no bosque, era de noite e eu estava sozinha, tinha frio, estava só com uma t-shirt e uns calções, e começo a ouvir vozes ''Emma...Emma...'' começava a ficar assustada, o sonho nunca mais acabava, até que acordei e sentei-me na cama com a respiração ofegante, olhei para a janela do quarto e vi que estava lá alguém mas como tinha os cortinados fechados não dava para perceber que era, abri-os e vejo a cara do Alex a chamar por mim, disse-lhe para ir para a frente da porta e eu fiz o mesmo, tirei a chave de dentro da gaveta da cómoda, onde a minha avó a escondia sempre e com muito cuidado para não fazer barulho abri-lhe a porta. 

-Olá amor!

Corei um bocado, mas lá respondi:

-Alex!!! O que estás aqui a fazer? 

-Vim ver-te, disseste que não conseguias dormir então eu vim cá ter... também eu moro aqui tão perto.

Peguei-lhe na mão e puxei-o até ao meu quarto que estava mesmo ali ao lado. A gata ainda estava na cama, e tinha acordado.

-Oh, tão fofa, como se chama ?- disse ele dirigindo-se para a gata.

Eu não respondi, ainda estava a tentar vir à realidade, tinha acabado de ter um sonho super estranho, e logo de seguida aparece-me o meu namorado à porta de casa a meio da noite... a minha cara era completamente incompreensível.

-HEY!- gritou ele.

-Ah...-disse eu colocando o cabelo para trás. -Diz.

-O que é que tens Emma?

-Tive um pesadelo...estava na floresta e estava sozinha e com frio, e comecei a ouvir alguém chamar por mim. E depois do anda tu apareces-me em casa...

-Ah isso do chamar-te devo ter sido eu, eu estava a chamar-te à 5 minutos, mas tu nunca mais acordavas.

-Ai... fogo, isso acontece-me tantas vezes, sempre que ainda estou a adormecer a realidade entra nos meus sonhos e vice-versa, é como se estivesse ainda um pouco acordada, mas já a iniciar o sonho, nunca hei de perceber...

-Ahaha, essa tua cabecinha, não me chegas-te a dizer, como é que se chama a gata?

Boa pergunta, nem eu sabia.

-Ainda não sei.-respondi.

-Que tal Alem? (lê-se Aleme).

-Além? Que nome espiritualista hahaha.-disse eu.

-Não, se reparares é a junção de Alex com Emma, e dá a palavra Alem.

-Adoro! Aliás... adoro-te!-sorri, ele sorriu também.

-Bem queres ir dar uma volta?

-Não, está muito vento, podemos ver um filme...ah espera eu aqui não tenho leitor de dvd...ah, mas vemos no mac, assim já dá.

-Está bem, que filme vamos ver?

-Que tal a ''Proposta'' ?

-Parece-me bem, nunca o vi, mas dizem que é muito fixe.-disse ele.

-Eu também nunca vi, andava à procura de companhia para o ver.-disse-lhe sorrindo.

-Tola.

-Parvo.-disse-lhe, mandando-lhe uma almofada à cara.

-Hey!

Deitei-me na cama e estava com um pouco de frio, tinha ido abrir a porta descalça sobre o chão frio, enfiei-me debaixo dos lençóis, ele deitou-se na cama também mas por cima do cobertor. Coloquei o computador por cima das minhas pernas e meti o filme com o volume no 20.

 Enconstei a minha cabeça no seu peito e ele meteu o braço à volta do meu corpo. O filme acabou e nós ainda estávamos acordados, era de doidos, dois adolescentes de 16 anos a ver um filme de comédia juntos às 3h da manhã. Desliguei o computador, guardei-o e voltei para a cama.

O meu corpo estava ao lado do do Alex, mas da cintura para cima o meu corpo estava em cima do peito do Alex, estava quente.

Ele chegou-se mais para baixo da cama e eu também me cheguei para baixo, lentamente coloquei o meu corpo sobre o dele e beijei-o.

 Adormecemos juntos e amanhã já seria um novo dia.

publicado por Kate às 23:27
Adorei!!!
está lindoo
porque não me avisaste que já tinhas postado? :(
mas bem.. posta depressa ;)
- Biaa a 18 de Julho de 2011 às 00:50
sorry ^^ ainda bem que adoras-te linda ty.
Kate a 18 de Julho de 2011 às 00:57
arquivos
mais sobre mim
arquivos
pesquisar neste blog
 
sinopse
Na adolescência há acontecimento que podem ficar marcados para sempre. Conseguimos possuir de um milhão de sentimentos em simultâneo, tão bem como pensamentos. With no turning back retrata a história de uma adolescente: Emma, que após ser trocada pelo namorado, e de uma noite marcante na sua vida, em conjunto de um repleto disparate, Emma é obrigada a ir viver com o seu pai e avó para o Alentejo, onde vai fazer amizades que jamais irá esquecer, e principalmente onde vai conhecer o rapaz dos seus sonhos... mas logo por azar, Emma descobre algo terrível, o que pode ser tomado como um risco ou não. Mas quando o amor é muito, e principalmente ''à primeira vista'' não há nada que faça parar o coração de uma adolescente.